OLYMPUS DIGITAL CAMERA

CURRÍCULO LATTEShttp://lattes.cnpq.br/6609050723363590

Nascer sobre a regência do signo de gêmeos, em parte, é uma benção. Não que eu acredite que, ao todo, seja completamente influenciado por previsões astrológicas. Eu nunca vejo as minhas mas conheço as definições dos nativos e sei que, pelo menos, relacionado à comportamento muita coisa bate.

É quase uma tortura ser, este ser inquieto e querer (é poder?) fazer ‘trocentas’ coisas ao mesmo tempo além de acabar o dia achando que poderia ter feito alguma coisa a mais. Por isso não me atenho, quase sempre, nas escassas 24hs. Não olho, muito, pro relógio e não me preocupo, demais, com o calendário. Vou criando, escrevendo, compondo e lendo enquanto observo, rumino, degluto e vivo. “Penso logo existo” não tem o mesmo peso quanto “sinto logo vivo”.  E por sentir demais expresso ainda mais de uma forma, as vezes, exagerada demais, mas com muito amor à tudo.

Aliás, amor pra mim é tempero, uso sem moderação pois apimento, salgo ou adocico tudo.

Sou designer por osmose, músico por dom e mercadólogo por paixão.
Me dedico a essas 03 funções de corpo e alma, acrescentando sempre tudo o que trago de fora. Aprendo fácil, tudo aquilo que me instiga. Fotografia, escrita, artes cênicas e tudo o que envolve a criatividade do ser humano são sempre bem vindos pois compõem as peças que me formam enquanto pessoa. Enquanto marca, me preocupo em ser útil, participativo e ter relevância, sem deixar de ser profissional.

=====

HISTÓRICO PROFISSIONAL

Primeiro fui ourives.
Levei pouco tempo para aprender pois sempre tive habilidade com as mãos e logo já era autor de jóias criando minhas próprias – humildes – peças.
Três anos depois mudei de ares e fui Trabalhar com gessaria.
Aprendi o processo de cópia de estátuas e imagens através de um meio artesanal, bem como criação de sancas para iluminação, instalação e confecção de placas de gesso.
Um bom tempo depois, fui trabalhar em uma loja de móveis usados.
Fui aprender e trabalhar com montagem, restauração e conservação de algumas peças bem como a salvação de muitas. Sei reconhecer um Chippendale, bem como um Vitoriano, além de classificar madeiras como mogno, cerejeira, marfim, imbuia.
O que para muitos era velharia, tornavam-se verdadeiros achados para restauradores profissionais. Tudo em meio a fogões e geladeiras restauradas, sofás e mesinhas de centro, espelhos com molduras e muita coisa antiga. Comprávamos, restaurávamos, vendíamos, entregávamos.

Surgiu-me então, 3 anos depois a oportunidade de ser vendedor em uma loja de móveis e eletro novos com uma boa comissão e a possibilidade de conhecer linhas mais novas.
Móveis tubulares – que tiveram saída enorme nessa época – para sala e quarto, roupeiros Campo Largo, Carraro, cozinhas Todeschini e uma centena de outras marcas.
Fora a primeira vez trabalhando em equipe – pelo menos uma razoavelmente grande – aprendendo sobre os móveis e suas especificações, métricas, atendimento, cálculos, reserva e códigos de venda e estoque. E dois anos depois, logo após minha saída das vendas  fui  trabalhar como representante comercial de uma gráfica, novamente comissionado.
Em minhas horas vagas (finais de tarde e 1 hora pela manhã todos os dias) sentava-me ao PC e tentava por em prática aquilo que via o designer (meu compadre) fazendo no PC ao lado.
Logo peguei gosto por CorelDRAW – o qual acompanho desde a versão 6) depois enveredando-me pelo Adobe Photoshop 7 pois logo passaria a trabalhar como Designer Gráfico o que venho fazendo desde 98 no mercado gráfico.

Implantei e gerenciei a CromoCard (em Curitiba, primeira terceirizada de SP em impressão de cartões fotográficos e panfletos 4×0) onde atendíamos 30 representantes com média diária de 80 à 120 mil cartões para produção.
A empresa não conseguiu manter o suporte que necessitávamos e abandonou o mercado de Curitiba em menos de 1 ano – também devido à especialização das gráficas locais.
Fui então trabalhar como webdesigner na agência Comunique, também responsável por criações como design gráfico, atendimento ao cliente, briefing de jobs – basicamente impressos e sites.
Um tempo depois,  Junto a Gráfica Express implantei e gerenciei por 3 anos o setor de criação, design e cromia, que continua funcional seguindo os mesmos moldes que implantei, mesmo depois de minha saida. Desta feita, atendíamos não só representantes bem como gráficas que terceirizavam seus serviços conosco.
De lá,  parti para uma parceria com a Pinhal Graph onde trabalhei até o início de 2009 no setor de atendimento, criação e impressão. Quando enfim parti para a criação da In-Pressão Criativa que, basicamente, oferecia serviços de design gráfico, comunicação visual e impressão, além de alguns serviços web como: websites, conteúdo, AdWords e Facebook Ads.

A algum tempo, a In-Pressão Criativa entrou em pause para um reposicionamento da marca e, provavelmente, sirva como uma rica experiência empreendedora, pois hoje os projetos e planos mudaram um pouco e ela continua em standby.