Google #mobileday: Cinema, pipoca, micro-momentos e estratégias.
14 Flares Twitter 1 Facebook 10 Google+ 3 Pin It Share 0 Filament.io 14 Flares ×

A fila era grande, chamando a atenção de quem passava em frente ao cinema do Park Shopping Barigüi na quarta-feira (11/06/15). Pulseirinha de identificação no braço, um vale pipoca + refrigerante, e uma pesquisa de opinião com um lápis (Google) para responder, entramos para a sala*. Um vídeo – estilo animação – do evento já rolava na tela. Sala cheia, muitas selfies. Muitos profissionais de agências, pessoas ligadas ao marketing e ao segmento mobile.

mobileday

Num formato diferente do Google Expert Training Day, com cara de entrevista ao invés de apresentação, os mestres de cerimônia eram profissionais envolvidos com projetos digitais falando com propriedade sobre o assunto. Michel Sciama (Head of Performance Ads Products, Google), Nathalia Lervolino (Brand Insights Manager Latam, Google) – naquele mural incrível feito de fotos no Google SP, Jason Spero (VP Performance Media, Google) e Renato Meirelles (Fundador Data Popular) além de outros, compartilham suas ideias e percepções de um modo muito real.  Avinash Kaushik (Digital Marketing Evangelist, Google) conseguia até mesmo provocar risos, com sua paixão inflamada por experiências em marketing digital e mobile. Não foi uma aula, um treinamento nem mesmo um workshop. Foram dicas e insights de quem conhece o mercado, está envolvido no processo crossmedia de marcas, além de vivenciar as mudanças que ocorrem rapidamente através do mobile. Serve até como um documentário, se você tiver essa percepção.

Numa tradução livre do artigo “How Micro-Moments Are Changing the Rules” escrito por Sridhar Ramaswamy para o Think With Google compreendemos um pouco mais desse contexto, onde os micro-momentos são responsáveis pela necessidade diária de se repensar comunicação, conteúdo e experiência:

“…Mas então surgem os outros momentos – “eu quero saber”, “eu quero ir”, “eu quero fazer”, “eu quero comprar”– e estes são os que realmente importam. Chamados de “micro-momentos” são estes que podem ser agentes de mudança tanto para os consumidores como para as marcas. Os micro-momentos acontecem quando as pessoas utilizam um dispositivo, de forma reflexiva, para atuarem como consequência de uma necessidade de aprender, de fazer, de descobrir, de ver ou de comprar algo em concreto. Estes são momentos de intenção em que são tomadas decisões e moldadas preferências. Nestes momentos, as expectativas dos consumidores estão mais elevadas do que em qualquer outro momento. Os poderosos computadores que trazemos connosco, nos bolsos, “treinaram-nos” a esperar que as marcas tenham respostas para o que procuramos no momento e local em que estamos a procurar. Queremos as coisas certas, e queremos as coisas agora mesmo.”

O site Mobile Day, que é uma área específica no Think Insights do Google, contém artigos redigidos para auxiliar nas tomadas de decisão quando o assunto for marketing digital voltado à experiência mobile. Também disponibiliza o mesmo vídeo transmitido em tempo real para as várias salas de cinema do Brasil.

55 minutos de conversas que transmitem a mensagem claramente, desmistificam alguns pontos específicos e abrangem certas facetas do mundo digital. Acaba que no final é uma aula, um treinamento e, um workshop…

Numa tarde agradável adquirindo conhecimento, o Google Mobile Day serviu como um grande inspirador apontando para a rápida transformação nas interações humanas influenciadas pelo celular que, com a criação dos smartphones, passam cada vez mais tempo conectadas consumindo determinados tipos de conteúdo. Não sendo isto uma tendência, mas sim uma convergência que irá influenciar cada vez mais as estratégias de marketing e exigir mais atenção em seus investimentos nessa área.

Ou seja, é bom se informar!

* Houve momentos em que a fila empacava por falta de pipoca salgada…
P.S.: Realmente o Google poderia ter dado uma atenção maior ao evento, que acabou deixando todos sem saber se era pra sair da sala de cinema ou não, não provocou diálogo (que seria muito bem vindo e rico) com os presentes e reuniu essa galera numa quarta-feira à tarde, vindo a colocar todo o conteúdo no site oficial posteriormente, ou seja, poderiam ter pensado algo mais mobile já que não era necessário estar presente no evento que foi apenas um documentário.

Written by MarcelGinn®

Não sou chegado de Dalton Trevisan, nem fiz poesia com Leminski, o que não me torna menos vampiro de Curitiba.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *